domingo, 20 de Julho de 2014

Uma horrível anedota!!!...



O Benfica actual é uma horrível anedota...

Na passada 6ª feira, e hoje, depois de 15 dias a trabalhar em absoluto segredo, com treinos à porta fechada e sem ninguém passar cartão aos sócios, eis que pudemos ver o novo Benfica...
Não posso (nem devo...) dizer que me apeteceu vomitar; mas que fiquei com o estômago bastante embrulhado, não o posso negar!...


Disputando - bem, disputando é, seguramente, um eufemismo!... - a Taça de Honra da AF Lisboa, jogámos com o Estoril na 6ª feira, e vencemos por 1-0. Um adversário incomparavelmente mais fraco do que na época passada, e uma vitória magríssima, com o adversário a ser infeliz.
Hoje, na final, com os viscondes falidos, com uma equipa comprada na loja dos chineses, acabámos por perder o jogo (apenas) por 1-0, depois de termos feito uma exibição ainda pior do que a da 6ª feira (afinal era possível fazer pior!)...


Não é apenas o futebol do Benfica que me dá a volta ao estômago.

É, também, a miserável gestão desportiva e financeira dos activos desportivos, com a destruição de uma equipa (apesar de tudo...) campeã, com a venda de Oblak, Rodrigo, Markovic, Garay, André Gomes, e a quase certa venda de Enzo Pérez e Gaitán, sendo que a esmagadora maioria foram vendidos por valores incríveis, quase ridículos, como foi o caso de Garay...

É, também, o desprezo a que se votam os sócios, adeptos e simpatizantes, a quem nunca se dirigiu uma palavra nos tempos mais recentes...

É, também, o facto dos nossos administradores e dirigentes se pavonearem em shows televisivos e em eventos mediáticos, armados em comentadores e estrelas do social, em vez de estarem a cuidar dos assuntos do clube, como aconteceu com Rui Costa...

É, também, a subtracção da denominação Benfica à BenficaTV, passando a chamá-la de BTV e, numa suposta abordagem mais comercial, dar excessivo espaço e menção aos nossos directos adversários e rivais, tratando-os como agentes honestos e justos, que definitivamente não são...

E é, também, continuar-se a dar voz na (agora) BTV a uma série de papagaios avençados, a quem se encomenda um discurso supostamente isento, mas no fundo destinado a branquear a mediocridade e a incompetência que grassa na instituição, a vários níveis, desde o desportivo ao financeiro, passando pelo relacional...

O Benfica actual é uma horrível anedota, que me deixa doentiamente deprimido...

quinta-feira, 15 de Maio de 2014

Do fundo do coração...



Turim, 14 de Maio de 2014: final da Liga Europa. Adversário: Sevilha.
Objectivamente reunidas todas as condições para o Benfica fazer um jogo à altura das suas capacidades e, logicamente, conquistar o troféu...


Factos:

Sim, o alemão fez uma arbitragem nojenta, nitidamente para agradar a Platini e aos seus pares!
(Muito curioso de, no final do jogo, J. Jesus ter voltado a estar abraçado a um corrupto...)

Sim, os rapazinhos portugueses (um dos quais, pelo menos, será raparigo, conforme se depreende do facto de, no final do jogo, ter beijado um colega de equipa na boca!...), dispensados pelos nossos adversários internos, continuam a destilar um ódio visceral pelo Benfica, sem que isso seja devidamente denunciado nem reflectido nas suas vidas desportivas, conforme seria nossa obrigação!

Sim, o Sevilha é (e foi!...) uma equipa de merda, na verdadeira acepção da palavra, que pouco mais faz (e fez!...) do que chutar a bola, ou os adversários, que apareçam à frente!


Mas, também...

Sim, fizemos um jogo miserável, sem consistência, sem atitude e sem ponta de velocidade!

Sim, falhámos, escabrosamente, todas as situações de finalização que criámos!

Sim, tivemos meia equipa a atirar-se insistentemente para o chão, mesmo quando tinha condições para prosseguir as jogadas e criar perigo!

Sim, cometemos a infâmia de fazer entrar o Cardozo no jogo, passando literalmente a jogar com menos um a partir desse momento!

Sim, levámos o jogo todo a não atacar a bola que nos era endossada, permitindo sempre a antecipação dos adversários, e nunca corrigimos isso!

Sim, cometemos a infame imbecilidade de achar que, se aumentássemos a intensidade nos últimos 5 minutos de cada parte os resultados iam aparecer!...


E eu fui, absurdamente e imbecilmente, ingénuo - ou, apenas, cegamente apaixonado?... - em dar crédito a um grupo de indivíduos que, à semelhança de outras alturas, já deram provas de não ter estofo mental para representar o Benfica!!!

Por isso, só me ocorre uma frase:
VÃO PRÁ PUTA QUE VOS PARIU!!!

Do fundo do coração...



.......................................................................................

SEVILHA, 0  -  BENFICA, 0   (0-0, a.p.)  (4-2, g.p.)

14/05/2014, 19:45 horas, Estádio Juventus Arena (Turim)
Transmissão TVI

ÁRBITROS: um filho de puta alemão, que devia ter morrido à nascença!

SEVILHA: ... ninguém que deva ser referido!
Suplentes:
... ninguém que deva ser referido!

BENFICA: ... por pudor, não se menciona!
Suplentes: ... por pudor, não se menciona!


MARCADOR: 0-0.
.......................................................................................



PS - Buonanotte Principessa...

sábado, 10 de Maio de 2014

Vitória na Taça da Liga 2013-2014



Na final da Taça da Liga, uma vitória justa, mas... complicada!

Na passada 4ª feira, o Benfica disputou a primeira das três finais para que se apurou.
O adversário entrou muito bem no jogo, criando surpresa pela determinação e objectividade colocada no jogo. E, por mais de uma vez, deu mostras de querer disputar a contenda...
O Benfica levou algum tempo a acertar nas marcações, e ainda mais algum a produzir futebol ofensivo capaz de garantir sucesso. De facto, apesar de ter estado por mais de uma vez em situação ofensiva, nos momentos iniciais da partida, a verdade é que só a partir da meia hora de jogo a equipa manteve alguma intensidade no desenvolvimento ofensivo.
É verdade que a defesa esteve sempre à altura para suster as iniciativas adversárias, que Oblak deu sempre excelente conta de si quando foi chamado a intervir, e que o meio-campo foi competente a obstruir as ofensivas do Rio Ave. Mas também é verdade que, em especial na saída para o ataque, se perderam muitos passes, se complicou muito o que era simples, e nem sempre se jogou com a objectividade e acutilância necessárias.
De qualquer modo, aos 40 minutos de jogo, Rodrigo teve uma oportunidade flagrante, num remate defendido de forma espectacular por Ventura, para canto. Na sequência desse canto, Garay desviou, de cabeça, e Rodrigo, descaído para o vértice direito da pequena área, de pé esquerdo, colocou a bola no fundo da baliza do Rio Ave, de nada valendo a oposição do guardião e de dois defesas adversários.


No reatamento da partida, o Benfica veio mais expedito e determinado e, nos primeiros 15 minutos, criou quatro boas ocasiões para dilatar o marcador, por intermédio de Rodrigo, Markovic, Lima e Gaitán. Em especial nas duas últimas ocasiões, Ventura foi responsável por duas grandes defesas, negando literalmente o golo ao Benfica. Apesar de tudo, na oportunidade protagonizada por Gaitán, o argentino teve tudo, mas mesmo tudo, para fazer o golo, e acabou por não ser suficientemente eficaz, quando ficou isolado frente ao guardião vilacondense.
Depois, aos 78 minutos, finalmente o Benfica voltou a marcar, por intermédio de Luisão, que acorreu de cabeça a um cruzamento para o miolo da área do Rio Ave, na sequência de um livre apontado por Enzo Peréz, da direita do nosso ataque.


Apesar da vantagem, o Benfica continuou a dominar o jogo, e o Rio Ave deixou de dar mostras de poder contrariar o poderio benfiquista.
E foi mesmo o Benfica quem, por mais duas ocasiões, esteve perto de fazer o 3-0, por intermédio de Lima e, depois, de Rúben Amorim, sendo que a ocasião de que dispôs Lima resultou de uma brilhante jogada de Rodrigo.
Em suma, depois de um início de jogo pouco conseguido, com um adversário atrevido, e de uma primeira parte aquém das expectativas, o Benfica acabou por construir uma vitória justíssima, que até pecou por escassa, e arrecadou mais uma Taça da Liga - a 5ª!... em 7 edições - juntando esta ao título de campeão.


Resta destacar o fair-play de alguns adversários, entre jogadores e técnicos - o treinador Nuno Espírito Santo, e o extremo Ukra, foram exemplos disso... - bem como a azia de outros, como o capitão Tarantini que, além de passar o jogo a distribuir fruta pelos nossos atletas, com a complacência do boi de preto, ainda revelou muito mau perder, quer quando da entrega do troféu, quer nas declarações do pós-jogo. Uma miséria absoluta, que lhe ficou muito mal!...

Apesar de termos vencido, uma nota muito negativa para a arbitragem de Hugo Miguel que, quer técnica, quer disciplinarmente, teve sempre dois pesos e duas medidas, com evidente - descarado, mesmo!... - prejuízo para o Benfica.
Este é mais um que merecia, sem dúvida, a marcação de uma consulta de reconstituição numa clínica dentária!!!......
Haja vergonha! E respeitem o Benfica, filhos de... suas mães!

.......................................................................................

RIO AVE, 0  -  BENFICA, 2

07/05/2014, 20:30 horas, Estádio Magalhães Pessoa (Leiria), cerca de 23.000 espectadores.
Transmissão TVI

ÁRBITROS: Hugo Miguel; Hernâni Fernandes e Pedro Felisberto; Cosme Machado.

RIO AVE: Ventura; Lionn, Marcelo, Rodriguez e Edimar; Tarantini, Filipe Augusto, Ukra, Rúben Ribeiro (Braga, 69 min.) e Pedro Santos (Diego Lopes, 79 min.); Hassan (Sandro Lima, 68 min.).
Suplentes: 
Ederson, Tiago Pinto, Nuno Lopes, Vilas Boas, Diego Lopes, Braga e Sandro Lima.

BENFICA: Oblak; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Siqueira; Rúben Amorim (André Almeida, 84 min.), Markovic, Enzo Peréz e Gaitán (Salvio, 69 min.); Rodrigo e Lima (André Gomes, 90 min.).
Suplentes: Artur, Jardel, André Almeida, André Gomes, Ivan Cavaleiro, Salvio e Cardozo.


MARCADOR: 0-1, Rodrigo (40 min.); 0-2, Luisão (78 min.).
.......................................................................................



PS - Buonanotte Principessa...

domingo, 4 de Maio de 2014

P A L H A Ç A D A ! ! ! . . .



Já escaldado de outras guerras, não fui hoje à Luz...
A palhaçada desta tarde era previsível, e eu, de palhaços, só gosto dos do circo!
No futebol, detesto palhaços. E quando eles são da minha equipa, pior ainda...

A recepção ao Setúbal deveria ter sido encarada com a seriedade que um jogo em que se representa o Benfica exige. Mas não foi!
Entraram pintados com o cabelo de vermelho e com o logótipo do campeonato 33 pintado na cabeça, na cara e no pescoço, como se fossem para uma festa de Carnaval. E disputaram o jogo como se fosse um desfile de Carnaval, muitos deles até ao final...
Na verdade, o Carnaval começou antes, com a dispensa da concentração e com uma lista de convocados incrivelmente ridícula...

Do jogo, sobressai uma primeira parte miserável, como se ali estivessem a divertir-se e não a representar o Benfica numa competição oficial.
Alguns nem sequer se esforçavam por correr ou meter o pé...
Uma segunda parte onde alguns, certamente por rebate de consciência, foram um pouco mais expeditos, e onde apareceu o golo, aos 58 minutos. E, depois... bem, depois voltaram os maradonas estratosféricos a desenrolar um futebol de fazer inveja ao mais brilhante aspirante a praticante de fim de semana de futebol de praia...
Até se permitiram cometer um penalty descarado sobre um adversário, depois de andarem dois ou três à volta dele, desde a sua linha média!
Foda-se!!!

Faz-me confusão como é que num clube como o Benfica, onde se tem a exacta noção das dimensões e das responsabilidades, se permite, ainda, que estas aberrações aconteçam!
Jogar para divertir é dentro de portas, entre os nossos, quando para isso formos expressamente convocados! Não é na disputa de uma competição oficial, à porta aberta e perante mais de 50.000 pagantes!!!...
Foda-se!!! Quem não entende isto está cá a mais!!!...

Por falar em estar a mais, não posso calar a minha revolta pela postura e rendimento de alguns, como Cardozo e Djuricic...
Se é uma estratégia concertada para saírem do clube ao preço da uva mijona, comigo estavam bem tramados. Iam recambiados para a equipa B, que até se fodiam...
Pode-se perceber que estejam fora de forma, pouco confiantes, etc. Mas não se pode aceitar que não corram sequer à bola.
Puta que os pariu!!!...

Só mais um desabafo: se jogarmos assim os jogos que temos ainda pela frente, então já ganhámos tudo o que tínhamos para ganhar esta época.
Ou seja, trocado por miúdos: não ganhamos mais nada esta época!...

Acordem, foda-se!!!...


.......................................................................................

BENFICA, 1 -  SETÚBAL, 1

04/05/2014, 18:00 horas, Estádio da Luz, cerca de 52.000 espectadores.
Transmissão BenficaTV

ÁRBITROS: Duarte Gomes; André Campos e Nuno Vicente; Jorge Faustino.

BENFICA: Paulo Lopes; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Siqueira (Enzo Peréz, 60 min.); André Almeida, André Gomes, Salvio e Sulejmani (Gaitán, 67  min.); Djuricic (Lima, 45 min.) e Cardozo.
Suplentes: Oblak, Enzo Peréz, Ivan Cavaleiro, Gaitán, Markovic, Lima e Funes Mori.


SETÚBAL: Kieszek; Queirós, Venâncio, Ozéia e Acosta; Dani, Tiba, Zéquinha (Miguel Pedro, 77 min.), João Mário e Ricardo Horta (Tavares, 63 min.); Rafael (Bétinho, 90 min.).
Suplentes: Servín, Ney, Nelson, Pedroso, Miguel Pedro, Tavares e Bétinho


MARCADOR: 1-0, André Gomes (58 min.); 1-1, Rafael (73 min.).
.......................................................................................



PS - Buonanotte Principessa...

sábado, 3 de Maio de 2014

Um nome a não esquecer...



- Estes tipos ainda me vão deixar ficar mal perante o Platini...

                                                                  Mark Clattenburg (Clattenbosta...)

Inchem, grunhos!!!


- Afinal, o Platini não fez a sua parte...

- Nem ele, nem vocês! Não perceberam que podiam ter partido as pernas aos benfiquistas, que o Clattenburg não dizia nada?...


Inchem, grunhos!!!

Incha, grunho!!!


Antonio Conte teve ao longo da eliminatória uma postura tão arrogante como a que teve Pirlo...

No final do jogo da Luz, de onde saíu com uma derrota apenas tangencial porque o árbitro turco fez vista grossa a uma grande penalidade claríssima sobre Enzo Peréz, Conte praticamente afirmou que a eliminatória estava resolvida a seu favor.
Afinal, tanto ele como a sua equipa foram reduzidos à mais completa impotência, mesmo a jogar contra dez desde o minuto 65, e contra nove nos dez minutos finais...

Além disso, depois do jogo, demonstrou um inqualificável mau perder, refugiando-se em desculpas patéticas e... no trabalho do árbitro!!! Nos dois jogos, pasme-se!!!...

Incha, grunho!!!